10 dicas de atividades em casa para cuidar da saúde mental durante pandemia, segundo pesquisadora da UFPR

A pandemia do coronavírus colocou as pessoas diante do medo do desconhecido e da sensação de vulnerabilidade, o que pode ocasionar aumento de ansiedade e até depressão. É o que explica a pesquisadora Lidia Weber, do Departamento de Psicologia e Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR), líder do grupo de pesquisa “Infância, Adolescência, Família e Comunidade”. A Organização Mundial de Saúde (OMS) também alerta que as incertezas provocadas pela Covid-19, doença causada pelo coronavírus, os riscos de contaminação e a obrigação de isolamento social podem agravar ou gerar problemas mentais.

Diante disso, a OMS publicou um guia para cuidar da saúde mental durante a pandemia para profissionais de saúde, crianças e idosos, líderes de equipes e pessoas em quarentena. Para pessoas em isolamento social, a orientação é ficar em contato e manter a rede de amigos e conhecidos, estar atento aos sentimentos e seguir notícias confiáveis, evitando boatos e “fake news”.

 

Atividades sugeridas produzem previsibilidade, diminuem a vulnerabilidade diante do desconhecido e acalmam o estresse. Ilustração: Luiza M. Nery/Agência Escola UFPR

Nesse sentido, a professora da UFPR sugere atividades em casa para para cuidar da saúde mental. “O ser humano é um ser de afeto por excelência. É o que temos de mais importante na vida: as relações afetivas. Agora precisamos ficar longe fisicamente, mas podemos desenvolver estratégias bem bacanas de proximidade”, diz Lidia.

De acordo com a pesquisadora da UFPR, todas as atividades indicadas abaixo produzem previsibilidade, diminuem a vulnerabilidade diante do desconhecido e acalmam o estresse – algumas, geram alegria, emoções e proximidade afetiva entre as pessoas. Confira:

1) Pratique autocuidado

O autocuidado refere-se ao enfrentamento do desconhecido, permite sair da vulnerabilidade do desconhecido que assusta e tomar as rédeas com as próprias mãos. Esse também é um fator de prevenção para a saúde mental, pois com autocuidado diminuímos os riscos, a ansiedade e o estresse, podendo fazer outras atividades. Pensar em coisas que podemos controlar é fundamental para o ser humano. É o que se denomina de autocompaixão, ajudar a si mesmo. E nessa crise ajudar a si mesmo é também ajudar o outro. Ter autocuidado é pensar em si mesmo e nos outros, é um fator humanitário. Isso aumenta nosso nível de esperança e positividade.

2) Ajude com o que você já faz

Como você, por meio de sua profissão, pode disponibilizar gratuitamente algo pela internet? Um vídeo com dicas de Psicologia ou de imposto de renda? Ou tocar um instrumento musical? Ensinar a fazer um bolo diferente? O que você está esperando? Somos uma só humanidade.

3) Faça cursos online gratuitos

São úteis, tiram o foco da pandemia por algum tempo e ensinam. Atualmente estão sendo disponibilizados cursos e vídeos em várias áreas, desde algo novo dentro de cada área (Psicologia, Nutrição, Artes etc.) até atividades que já eram feitas, como aulas de ginástica de academias.

4) Programe atividades de organização

Atividades de organização trazem sensação de controle e reduzem ansiedade. Aquelas gavetas cheias de coisas que não são mais usadas, o monte de roupas que pode separar para doar, as mil fotos do celular que nunca organizou etc. Com crianças, é bem interessante inventar coisas fofas, como arrumar as meias por cor, limpar os brinquedos e colocar na estante por tamanho. Para quem tem jardim, é bem especial anotar quantas vezes o passarinho pousou na árvore, tirar as pequenas ervas daninhas e alinhá-las lado a lado por tamanho etc.

5) Faça visitas online para amigos e familiares

Programe as visitas online por Skype ou chamada de vídeo. Não vale ficar só falando do drama atual. Dá para inventar brincadeiras: cada um traz uma lembrança da infância ou cada um conta uma piada ou charada (assim precisa procurar, anotar…) etc.

6) Assista a filmes e séries

Permite muitas risadas e acalma o estresse. Se você gosta de dramas, alterne dramas com comédias. Assista junto à família e depois brinque com qual personagem cada familiar é parecido.

7) Medite

A Psicologia já tem comprovado o quanto exercícios simples de meditação trazem retorno para diminuir estresse e ansiedade, mesmo em curto tempo. Podem ser 10 minutos de meditação pela manhã e à tarde. Sente-se em um espaço calmo, feche os olhos, observe mentalmente o seu corpo, respire profundamente pelo nariz, segure um pouco e solte pela boca de modo profundo. Preste atenção em sua respiração. Deixe seu pensamento solto, calmo, pense como é bom estar aqui e agora. Depois, mexa-se com tranquilidade, espreguice e dê os parabéns a si mesmo.

8) Elogie

Faça potes de elogios. Uma vez por dia cada membro da família escreve um elogio para os outros. Os bilhetes podem ser abertos no final de semana, por exemplo. Pode-se fazer o mesmo com outros membros da família que estão distantes e depois os elogios serão lidos online. Para ainda se divertir, a família pode programar peças de teatro em que as crianças fazem o roteiro e são protagonistas.

9) Exerça a gratidão

Escreva cartas de gratidão. Pelo o que você é grato em sua vida? O passarinho que viu hoje no jardim? O fato de ter uma casa para ficar em quarentena? A quem você é grato? E para você mesmo, o que você fez que tem orgulho e quer agradecer a si mesmo? Depois marque momentos para que as cartas sejam lidas para todos.

10) Faça um quadro de rotina e identifique emoções

No quadro de rotina diária, insira atividades com os membros da família, de cuidado, organização e diversão. Com crianças, tire fotos das emoções básicas de cada um dos membros: alegria, surpresa, medo, raiva, nojo, tristeza. Coloque as fotos de todos os membros da família lado a lado (se não conseguir imprimir, podem verificar digitalmente) e dê risadas. Depois das emoções primárias, tire fotos de outras emoções mais complexas: vergonha, orgulho, desprezo, culpa, melancolia, alívio, vergonha, frustração, ternura, irritação, saudade, gratidão etc. Essa atividade ajuda crianças, adolescentes e adultos a identificarem e aprenderam mais sobre as suas emoções.

Saiba tudo sobre as ações da UFPR relacionadas ao Coronavírus

fonte: https://www.ufpr.br/portalufpr/noticias/10-dicas-de-atividades-em-casa-para-cuidar-da-saude-mental-durante-pandemia-segundo-pesquisadora-da-ufpr/