«

»

VESTIBULAR 2017/18 – Campus Jandaia tem três cursos na área de Engenharia e duas licenciaturas

O Campus Avançado da UFPR em Jandaia do Sul tem cinco cursos de graduação, dos quais quatro não são oferecidos em Curitiba. Implantado em 2014 em Jandaia do Sul, a unidade da UFPR está situada numa região com cerca de dois milhões de habitantes dos 28 municípios que compõem o Vale do Ivaí.

O campus localiza-se na mesorregião Norte Central Paranaense, a 384 quilômetros de Curitiba e a 44 quilômetros de Maringá. Os estudantes da região têm à sua disposição três graduações na área de Engenharia – Engenharia Agrícola, Engenharia de Alimentos e Engenharia de Produção – e duas licenciaturas – em Ciências Exatas e em Computação. Todos os cursos receberam nota 4 no Conceito Preliminar de Curso atribuído pelo Ministério da Educação (MEC).

Em seu quarto vestibular, o Campus Avançado disponibilizará 200 vagas e a expectativa é que aproximadamente mil candidatos se inscrevam no concurso. Segundo o diretor do campus, Eduardo Teixeira da Silva, a UFPR expandiu-se para Jandaia do Sul com o intuito de atender as crescentes demandas, especialmente relacionadas ao agronegócio, já que a região é uma das mais importantes produtoras de alimentos do País.

Foto: Marcos Solivan

A cidade

Situado no Vale do Ivaí, o município se destaca pelo cultivo de café e surgiu como um centro de convergência dos agricultores vindos de várias partes do Brasil. Com cerca de 21 mil habitantes – de acordo com dados de 2016 do IBGE –, a cidade é ligada via asfalto e ferrovia à Curitiba, Paranaguá, São Paulo, Santos, Rio de Janeiro e ao Sul do Brasil.

Foto: Marcos Solivan

Estrutura do campus

A unidade está instalada provisoriamente no prédio da Faculdade Jandaia do Sul (Fafijan) até o término da construção de uma sede própria no terreno doado pela prefeitura da cidade.

Suas instalações abrigam salas de aula, laboratórios, biblioteca e laboratórios de informática. Há, ainda, um restaurante universitário localizado na mesma rua do campus que serve refeições no café da manhã, almoço e jantar.

Foto: Marcos Solivan

Cursos

Engenharia Agrícola – Dentre os objetivos do curso de Engenharia Agrícola, está o de preparar engenheiros que dominem conteúdos e habilidades técnicas específicas, próprias da profissão, mas que estejam afinados com as demandas sociais e econômicas. Tem duração de cinco anos.

A graduação busca a formação de um profissional generalista, embasada nas ciências exatas e tecnológicas e com formação específica em Engenharia de Água e Solo, Mecanização Agrícola, Construções Agroindustriais e Ambiência, Energia na Agroindústria e Processamento de Produtos Agrícolas. Envolve, assim, conhecimentos econômicos, ecológicos e sociais para compreender o rural.

Mercado Profissional: O egresso terá competências e habilidades técnicas para atuar em projetos agroindustriais, na definição de alternativas de mecanização e exploração de terra; no desenvolvimento de ações para padronização, mensuração e controle de qualidade; realização de perícias, avaliações, laudos e pareceres técnicos, com condutas, atitudes e responsabilidade técnica e social.

Engenharia de Alimentos – Com cinco anos de duração e realizado no período matutino, o curso capacita profissionais para uma variada atuação, que abrange o aproveitamento e utilização de recursos naturais e o desenvolvimento industrial do setor agroalimentar e pecuário do Brasil. Também a agricultura familiar pode se beneficiar com os trabalhos de pesquisa e extensão que serão gerados pelos profissionais e alunos do curso.

A formação volta-se para a capacitação de profissionais que atuem na solução de problemas de ordem técnico-científica e operacional nas indústrias agroalimentares. Os estudantes aprenderão a necessidade do compromisso com o avanço científico, tecnológico e organizacional da produção, distribuição e qualidade de alimentos.

Mercado Profissional: O Engenheiro de Alimentos atua no desenvolvimento de produtos e de processos da indústria de alimentos e bebidas, em escala industrial, desde a seleção da matéria-prima, de insumos e de embalagens até a distribuição e armazenamento. Atua na solução de problemas relacionados à indústria de alimentos, acompanhando o processo de manutenção e operação de sistemas. Pode trabalhar, ainda, no controle e na garantia da qualidade dos produtos e processos, no desenvolvimento de tecnologias limpas e processos de aproveitamento dos resíduos da indústria de alimentos. Busca o desenvolvimento de produtos saudáveis, com características sensoriais que atendam ao consumidor.

Engenharia de Produção – Trata-se de um campo de fronteira entre o conhecimento técnico, típico de todas as engenharias, e as áreas administrativa e econômica. Atende às mudanças do mercado mundial, devido à globalização no âmbito dos processos produtivos e à demanda da sociedade por profissionais com ampla habilitação nas técnicas e princípios da Engenharia de Produção. É realizado no período vespertino e tem a duração de cinco anos.

O curso forma profissionais com conhecimentos específicos em Logística, Pesquisa Operacional, Gerenciamento da Produção, Design, Ergonomia, Qualidade, Economia e Administração. A formação diferencia-se das demais engenharias pelo fato de envolver formação nas áreas de: Gerência de Produção; Gestão da Qualidade e Produtividade; Gestão Econômica; Ergonomia e Segurança do Trabalho; Engenharia de Produto; Pesquisa Operacional; Estratégia e Organizações; Gestão da Tecnologia; Sistemas de Informação; e Gestão Ambiental. Dentre todas as modalidades de Engenharia, o Engenheiro de Produção tem a maior formação humanística e gerencial.

Mercado Profissional: Os engenheiros de Produção têm uma formação de largo espectro, encontrados em quase todos os campos de atividade. O campo de atuação profissional está voltado para a organização e operação dos sistemas de produção de bens e serviços. Envolve o estudo e o projeto de sistemas produtivos, tecnológicos e informacionais, assim como o projeto da organização do trabalho humano, sempre com a perspectiva de integração.

Foto: Marcos Solivan

Licenciatura em Ciências Exatas – A oferta do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas parte do princípio de que a formação de professores de Matemática, Química e Física para a educação básica, além de necessária para uma educação de qualidade, representa fator estratégico para o desenvolvimento do País.

O curso visa preparar o docente para o exercício do magistério e a formação de um futuro pesquisador em educação, no campo das ciências exatas. Os alunos receberão formação integral e fortemente interdisciplinar em torno das ciências exatas, o que amplia as possibilidades de atuação do futuro professor. Durante os dois primeiros anos, o aluno cumpre um núcleo básico com conteúdos científicos e pedagógicos. No terceiro ano, é feita a opção pelas habilitações de Física, Matemática ou Química. A partir daí disciplinas específicas são oferecidas, mantendo-se o caráter interdisciplinar do curso, culminando com os Estágios de Docência, no qual o aluno tem a oportunidade de articular o conhecimento adquirido com a prática docente nos ambientes formais e não formais. É possível a permanência no curso após o término de uma habilitação para concluir outra dentro do prazo de integralização curricular.

Mercado Profissional: O formado estará habilitado a lecionar Física ou Matemática ou Química para o ensino básico. Ao egresso do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas será conferido o diploma de Licenciado em Ciências Exatas com a respectiva habilitação escolhida.

Licenciatura em Computação – É realizado no período matutino e tem duração de quatro anos. Tem como objetivo principal formar o professor e profissional cidadão com domínio dos conteúdos específicos e pedagógicos alicerçado em uma sólida base humanista. A formação do professor de Computação incluiu o pensamento computacional e algorítmico na educação básica, de forma a favorecer os recursos cognitivos dos alunos, necessários para a resolução de problemas, que é transversal a todas as áreas do conhecimento.

As competências gerais a serem desenvolvidas ao longo do processo de formação do licenciando incluem a identificação de problemas que tenham solução algorítmica; conhecimento dos limites da computação; resolução de problemas usando ambientes de programação; compreensão e explicação das dimensões quantitativas de um problema; entre outros.

Mercado Profissional: O professor e profissional formado terá sólidos conhecimentos em Ciência da Computação, Matemática e Educação visando ao ensino de Ciência da Computação nos níveis da Educação Básica e Ensino Técnico e suas modalidades e a formação de usuários da infraestrutura de software dos computadores, nas organizações.

Como licenciado, estará capacitado a atuar como professor, estimulando a investigação científica com visão de avaliação crítica e reflexiva. Será um profissional apto ao desenvolvimento de processos de orientação, motivação e estimulação da aprendizagem, com a seleção de plataformas computacionais adequadas às necessidades das organizações.

 

Fonte:

http://www.ufpr.br/portalufpr/blog/noticias/vestibular-201718-campus-jandaia-tem-tres-cursos-na-area-de-engenharia-e-duas-licenciaturas/