Hepatite C

Seguindo com a nossa série de hepatites, a C é causada pelo chamado vírus da hepatite C. É uma doença infecciosa do fígado que age de maneira “silenciosa”, causando dano no órgão de forma crônica, podendo evoluir até para cirrose e câncer.

Mundialmente, estima-se 71 milhões de indivíduos infectados por esse vírus. Em torno de 400 mil vão a óbito anualmente devido a complicações da doença, especialmente cirrose e câncer de fígado.

No Brasil, aproximadamente 675 mil pessoas apresentam o vírus circulando no sangue.

Veja também: Hepatites Virais, Hepatite A, Hepatite B, Cirrose Hepática

 

Como é a transmissão do vírus da hepatite C?

Principalmente por meio de sangue contaminado, ou seja, CUIDADO com:

– Equipamentos para manicure/pedicure não adequadamente esterilizados;

– Equipamentos de tatuagem e piercing reutilizados;

– Compartilhamento de objetos de uso pessoal (escova de dente, barbeador, depilador);

– Compartilhamento de agulhas e seringas (usuários de drogas injetáveis);

OBS: é importante lembrar que o instrumento/material utilizado não precisa conter grandes quantidades de sangue contaminado para que a transmissão ocorra; quantidades microscópicas, isto é, não visíveis a olho nu, são suficientes para isso.

 

Além disso, se você passou por cirurgia ou recebeu transfusão de sangue ou transplante de órgão(s) antes de 1993, é bom que faça o teste para saber se tem hepatite C crônica. O exame é gratuito nas Unidades Básicas de Saúde – UBS de todo o Brasil. Isso é importante porque não havia teste para detecção do vírus da hepatite C antes dessa data.

Há casos de transmissão desse vírus por via sexual, mas são raros; ocorre mais facilmente em pessoas com múltiplos parceiros sexuais, pessoas que não utilizam preservativo nas relações e pessoas infectadas pelo HIV.

Também há possibilidade de transmissão para o filho durante a gestação, porém ocorre menos comumente do que no caso do vírus da hepatite B.

 

Como é a evolução da hepatite C no corpo humano?

A hepatite C aguda não costuma apresentar sintomas e, mesmo na forma crônica, só os apresenta quando o fígado já se encontra bastante “machucado” ou quando já se desenvolveu câncer. Isso significa que o indivíduo adquire a infecção e só descobre anos depois quando o dano já é bastante considerável ou então descobre por “acidente”, durante exames de rotina ou para doação de sangue.

Justamente por ser “silenciosa” e quase sempre evoluir para a forma crônica da doença que a hepatite C é a principal causa de transplante hepático no mundo.

 

Diagnóstico

É feito por meio de exames de sangue. Se houver suspeita de cirrose ou câncer hepático, outros exames serão necessários para aprofundamento da investigação.

 

Tratamento

Existe tratamento para hepatite C e é gratuito pelo SUS (Sistema Único de Saúde). É de extrema importância o tratamento dos infectados agudos e crônicos para evitar a evolução da doença para as complicações já mencionadas de cirrose e câncer.

 

Vacinação

Ainda não há vacina para hepatite C.

 

Autoria: Tayná

Fontes:

Ministério da Saúde

Organização Mundial da Saúde

Imagem: Internet

Setembro/2020