Já ouviu falar em cirrose hepática?

 Nota: a palavra hepático(a) refere-se a fígado

 

O fígado

O fígado é um órgão localizado do lado superior direito do abdome. É grande (pesa cerca de 1,5kg em um homem adulto), possui capacidade de se regenerar (até certo ponto) se lesionado e é responsável por inúmeras funções no corpo.

 

Quais as funções do fígado?

O fígado possui várias funções no nosso corpo, algumas são:

• Participa do metabolismo de gorduras, açúcares e proteínas;

• Participa do metabolismo de medicamentos, toxinas, drogas e álcool ingeridos;

• Filtra e elimina possíveis “impurezas” vindas do intestino, incluindo bactérias;

• Armazena vitaminas e açúcar;

• Produz fatores de coagulação sanguínea;

• Produz várias proteínas essenciais ao corpo;

• Produz a bile (que fica armazenada na vesícula biliar e que auxilia na digestão das gorduras).

 

O que é cirrose?

Cirrose é um termo de anatomia patológica que quer dizer basicamente que o fígado encontra-se em um estágio terminal de “vida”. Suas funções estão prejudicadas, a estrutura organizacional encontra-se alterada, o órgão até diminui de tamanho. Cirrose é um fígado “doente terminal”.

Veja abaixo a diferença do fígado saudável (figura 1) para o fígado com cirrose (figura 2):

Figura 1                                                Figura 2

 

Quais as causas da cirrose hepática?

Para que ocorra cirrose, deve haver algum fator “machucando” constantemente o fígado. O exemplo mais popularmente conhecido é o álcool: a cirrose alcoólica nada mais é do que a degeneração hepática em decorrência do consumo excessivo de álcool.

Existem outras causas de cirrose, como: hepatites virais, hepatite autoimune, doenças que atingem os ductos biliares (canais por onde a bile passa), doenças vasculares e doenças genéticas.

Veja mais em: Hepatites Virais;   Hepatite A;   Hepatite B;   Hepatite C;   Álcool, um vilão lícito;   Por que a venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores de 18 anos?

 

Quais as consequências de uma cirrose hepática?

Como o fígado é responsável por inúmeras funções no corpo humano, caso ele atinja esse “estágio terminal”, muitas áreas do organismo serão afetadas.

 

O metabolismo de uma substância chamada bilirrubina pode ficar prejudicado, fato facilmente observável pelo surgimento da icterícia, uma coloração amarelada na parte branca (esclera) dos olhos e na pele.

 

A circulação sanguínea também se altera, produzindo dilatações em veias do esôfago, estômago e intestino. Essas veias dilatadas (varizes) podem sangrar e o paciente pode falecer de hemorragia se não for socorrido e tratado adequadamente.

As alterações estruturais do fígado dificultam a entrada de sangue no órgão e, como resultado, esse sangue fica “represado” e se acumula em outros locais do corpo. Isso gera inchaço nas pernas e ascite (“barriga d’água” – figura).

 

 

O fígado cirrótico pode não conseguir produzir os fatores de coagulação adequadamente, o que facilita a ocorrência de sangramentos (hemorragias).

Há inúmeras outras consequências. O paciente cirrótico tem mais facilidade de adquirir infecções, pode ter prejuízo neurológico, pode ter suas funções renais e pulmonares gravemente afetadas.

 

Tratamento

Não há tratamento definitivo para a cirrose, a não ser o transplante de fígado.

É primordial a cessação da ingestão alcoólica para os pacientes que apresentam o álcool como causador da cirrose.

 

Autoria: Tayná

Fontes:

Ministério da Saúde

Livro de Clínica Médica da Universidade de São Paulo

Imagens: Internet

Maio/2020