«

»

Sala de aula bilíngue nas Licenciaturas

Nos dias 17 e 18 últimos, os estudantes das Licenciaturas em Ciências Exatas e Computação foram surpreendidos pela presença de um professor Surdo e de um intérprete de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais). A convite do professor Marcelo Valério, responsável pela disciplina de “Políticas Educacionais e Gestão Escolar”, o professor Carlos Alberto e o técnico-administrativo Anderson Rafael Siqueira Nascimento ofereceram aos graduandos uma experiência de vida e de formação docente diferenciada. A aula era sobre as atuais políticas de educação especial e inclusão escolar, mas diferente do que esperavam os/as alunos/as, não foi um dia para estudar grandes autores da sociologia da educação ou mesmo analisar a legislação brasileira sobre o assunto. Diferente disso, os presentes foram brindados por um sensível relato dos caminhos e descaminhos da inclusão escolar de estudantes com necessidades educacionais especiais, falado nas duas línguas oficias do Brasil: o Português e a LIBRAS. Para o aluno da Computação, Ademir Adell, o contato proporcionado “serviu para quebrar o preconceito, a ideia de que essas pessoas não são capazes”. A estudante Rhayanne Yukiko Nakano relata que “mesmo nas intervenções do professor Marcelo, não conseguia tirar os olhos do diálogo em LIBRAS que o intérprete Anderson conduzia com o professor Beto, me perdendo nos meus pensamentos como futura professora”. Para o professor da disciplina, Marcelo Valério, “a formação de um profissional de educação precisa superar concepções tecnicistas, permitindo que a sala de aula seja também um espaço de inquietação emocional e política”. O intérprete Anderson faz coro, ao dizer que “foi uma oportunidade de afirmar a identidade social da pessoa Surda e construir o conceito de alteridade para os estudantes da graduação”. Por fim, em LIBRAS (!), o professor Carlos Alberto se diz “muito feliz pelos questionamentos levantados pelos alunos e por poder respondê-los baseados na vivência, experiências, dificuldades, barreiras e lutas do Surdo em uma escola de ouvintes”. Depois de tanta repercussão por conta de uma simples aula, agora os envolvidos já pensam em planejar uma “Semana da Inclusão” para 2015. Você já está convidado.