Testes para vacina de COVID-19 ampliados no Brasil

Os testes da vacina contra SARS-CoV-2 (vírus causador da COVID-19) desenvolvidos pela farmacêutica Astrazeneca em parceria com a Universidade de Oxford e, no Brasil, com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) foram ampliados em 15/09. Desde essa data, mais voluntários estão sendo recrutados e a faixa etária foi também ampliada (inclusão de maiores de 69 anos).

Os estudos da farmacêutica anglo-sueca haviam sido interrompidos temporariamente no começo do mês por suposto efeito colateral grave em uma voluntária da Inglaterra. Após análises de um comitê de segurança independente, naquele país, e da própria Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), no Brasil, os testes voltaram a ser realizados em território nacional. Segundo a Universidade de Oxford, 18 mil pessoas no mundo já receberam a vacina em fase de testes.

 

Segundo a Organização Mundial da Saúde, há quase 170 vacinas contra a COVID-19 sendo desenvolvidas atualmente no mundo, sendo que 26 já estão em fase de testes com humanos.

 

Fontes:

Organização Mundial da Saúde

Agência Nacional de Vigilância Sanitária